Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carros Electricos

Tudo sobre carros eléctricos, noticias, novidades, apresentações, artigos técnicos, esquemas técnicos, tecnologia, etc.

Tudo sobre carros eléctricos, noticias, novidades, apresentações, artigos técnicos, esquemas técnicos, tecnologia, etc.

Carros Electricos

31
Mai10

Carro eléctrico da Opel chega a Portugal em 2011

adm

O director da GM Portugal "espera que Portugal "seja um mercado prioritário para o Ampera", o carro eléctrico da Opel que chega em 2011.

"Portugal é um mercado que tem muito interesse para os veículos eléctricos. Vamos tentar que seja um mercado prioritário para o Ampera", afirmou Guillermo Sarmiento na apresentação do modelo eléctrico da Opel, acrescentando que "o consumidor português tem uma consciência ecológica alta".

O Ampera vai começar a ser comercializado no final de 2011 ou no início de 2012, mas ainda não há estimativas de vendas para Portugal, nem preço definido.

Em viagens até 60 quilómetros, o veículo funciona com um motor alimentado exclusivamente pela electricidade armazenada numa bateria de lítio, que tem uma vida útil de dez anos.

Quando esta fica descarregada, entra em funcionamento um motor-gerador a gasolina (ou etanol E85) que alimenta o motor eléctrico e alarga a autonomia do Ampera para os 500 quilómetros. Guillermo Sarmiento adiantou que o Ampera cumpre os requisitos para aceder ao incentivo de cinco mil euros atribuído pelo governo aos primeiros cinco mil carros eléctricos a circular no país, nomeadamente propulsão exclusivamente eléctrica e carregamento numa fonte de energia externa.

O carregamento total da bateria demora três horas e pode ser feito numa tomada doméstica.

fonte:http://economico.sapo.pt

28
Mai10

Carro Elétrico anda 1.003 kms sem recarregar

adm

Carsale - O Japan Electric Vehicle Club, uma espécie de grupo de estudos nipônico que busca promover o uso de veículos elétricos, conseguiu percorrer 1.003 quilômetros com um Daihatsu Mira elétrico sem recarregar as baterias no trajeto. O modelo estava equipado com 8.320 baterias de íons de lítio de 74 kWh desenvolvidas pela fabricante de eletrônicos Sanyo. O mesmo carro já havia conseguido percorrer 555 km, no ano passado, com uma carga somente. Para alcançar quase o dobro dessa distância, os engenheiros fizeram poucas mudanças. As baterias e motor elétrico permaneceram sem ajustes, mas o peso do carro foi reduzido com a instalação de bancos de fibra de carbono, por exemplo. Os pneus também foram trocados por um conjunto com menor resistência a rolagem desenvolvido pela fábrica japonesa Toyo.

Para percorrer estes 1.003 km foram necessárias 27 horas e 30 minutos. A velocidade média foi de 40 km/h. Revezaram-se ao volante um total de 17 pilotos. Apesar da longa distância percorrida, o uso de baterias de 74 kWh não deve aparecer em automóveis de produção tão cedo. O custo de produção deste equipamento é proibitivo. No entanto, vale comemorar esta nova marca que ainda aguarda reconhecimento do Guinnes Book, o Livro dos Recordes.

fonte:http://carsale.uol.com.br

27
Mai10

Nissan Leaf chega a Portugal e Holanda em Dezembro

adm

Portugal e Holanda vão ser os «primeiros países europeus» onde vai ser comercializado, a partir de «Dezembro», o Nissan Leaf, um veículo automóvel totalmente elétrico, com baterias de iões de lítio e de emissões zero, foi revelado esta quarta-feira.

«Portugal e Holanda vão ser os primeiros países europeus a dispor do Leaf, que vamos comercializar em Dezembro», adiantou António Pereira Joaquim, diretor de comunicação da Nissan Iberia em Portugal.

O mesmo responsável falava a propósito da iniciativa que decorre hoje em Lisboa, no Terrapleno de Algés, intitulada EV Tour Lisboa.

A Nissan Iberia - Portugal vai dar a conhecer aos jornalistas um novo automóvel totalmente elétrico, promovendo também a condução de um veículo do protótipo EV, que serve de base ao Leaf. Na ocasião, a Aliança Renault-Nissan vai ainda assinar uma Carta de Intenções (LOI) com o Governo.

«A Carta de Intenções é mais um passo para afirmar a liderança da Aliança Renault-Nissan nos veículos elétricos e de Portugal como país líder na introdução deste tipo de automóveis», limitou-se a revelar António Pereira Joaquim. Relativamente ao Leaf, o diretor de Comunicação da Nissan Iberia em Portugal explicou tratar-se do «primeiro veículo totalmente elétrico destinado, à semelhança de qualquer outro automóvel, à comercialização em massa».

«O veículo, com emissões zero, vai começar a ser comercializado no Japão e nos Estados Unidos, em novembro, chegando depois à Europa», disse. Com capacidade para «cinco passageiros», o novo automóvel pertence «ao segmento C», acrescentou, frisando que o Leaf já vai incluir «as baterias». O responsável referiu ainda que o veículo vai ter um preço de 34.955 euros, mas salientou que os compradores vão poder beneficiar do «incentivo de cinco mil euros aprovado pelo Governo».

«Por isso, o preço final do automóvel vai ser 29.955 euros», sublinhou, garantindo que «o único custo» para os automobilistas que optarem por este veículo «vai ser a eletricidade, que custa um euro por cada cem quilómetros, em média».

A Lusa contactou o Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento (MEID) sobre a Carta de Intenções com a Renault-Nissan, mas não obteve esclarecimentos. O Governo português e a Renault-Nissan assinaram, em Julho de 2008, um protocolo para a comercialização em Portugal de um veículo elétrico a partir de 2011.

A Renault-Nissan escolheu Cacia, Aveiro, para instalar a Fábrica de Baterias da Nissan, tendo o Governo assumido a garantia de desenvolvimento de uma rede de abastecimento dos veículos elétricos. O ministro da Economia, Vieira da Silva, esta terça-feira, à saída de uma reunião dos 27, em Bruxelas, garantiu que Portugal «está numa posição um pouco mais avançada que a maioria dos países» no que respeita aos veículos elétricos, podendo mesmo estar na vanguarda de uma mudança radical na área da indústria automóvel.

Diário DIgital /Lusa

25
Mai10

Aposta da UE no carro elétrico terá grande impacto em Portugal

adm

O ministro da Economia, Vieira da Silva, congratulou-se com a aposta hoje assumida pelos ministros da Competitividade da União Europeia nos carros elétricos, afirmando que Portugal poderá beneficiar muito, dado estar numa posição dianteira nesta matéria.

Falando à saída de uma reunião dos 27, Vieira da Silva indicou que foi aprovada "uma posição comum da UE relativamente à modernização do parque automóvel na linha da produção de veículos ecologicamente mais avançados e amigos do ambiente" que prevê "desenvolvimentos que estão muito em consonância com aquela que tem vindo a ser estratégia portuguesa".

O ministro manifestou-se particularmente esperançoso que o sistema de carregamento de baterias dos futuros veículos elétricos que está a ser desenvolvida em Portugal "possa ser o modelo que venha a ser utilizado noutras zonas da Europa", tornando o país "particularmente atraente para todos aqueles que estão a trabalhar na área da mobilidade elétrica".

De acordo com o governante, que deu conta também da apresentação de uma posição conjunta de Portugal, Espanha, França e Alemanha, de "apelo direto" no sentido de se acelerar a "mobilidade elétrica" entre os Estados-membros, nomeadamente a criação de normas comuns para carregar as baterias, o conselho ministerial de hoje tomou decisões "muito importantes", que poderão ter um alto impacto económico em Portugal.

"Diria que hoje, com estas decisões do Conselho Europeu, com a posição da Comissão Europeia, a mobilidade elétrica passou de uma opção para uma aposta forte, e isso só pode beneficiar os países que estão já completamente integrados nessa estratégia", caso de Portugal.

Segundo o ministro, Portugal, "que está numa posição um pouco mais avançada que a maioria dos países", poderá mesmo estar na vanguarda numa mudança radical na área da indústria automóvel.

"Portugal infelizmente esteve ausente dos grandes momentos de inovação e de revolução industrial ao longo dos últimos séculos. Estamos à beira de uma mudança muito significativa na mobilidade, com a introdução do veículo elétrico, quer do ponto de vista da utilização individual, quer do ponto de vista dos transportes coletivos, e felizmente estamos a acompanhar desta vez numa posição dianteira", afirmou.

Reforçando que a posição hoje adotada "valorizou os passos necessários para que a tecnologia de mobilidade elétrica venha a ser uma tecnologia de ponta do ponto de vista da indústria automóvel europeia", o ministro declarou que tal "é muito importante para Portugal", já que será "o primeiro país a ter uma rede nacional de carregamento", já no

Vieira da Silva reconheceu, todavia, que Portugal terá de se esforçar: "Ninguém nos vai oferecer nada. Temos que batalhar para que as opções que temos vindo a desenvolver sejam opções que tenham um impacto e retorno para Portugal", e que mais empresas instalem fábricas no país, concluiu.

Diário Digital / Lusa

 

 

 

25
Mai10

EDP inaugura três pontos de abastecimento de veículos elétricos na Grande São Paulo

adm

A EDP no Brasil, empresa do Grupo EDP Energias de Portugal, dono no País das distribuidoras de energia Bandeirantes (SP) e Escelsa (ES), inaugurou ontem em Guarulhos, na Grande São Paulo, três pontos de abastecimento de veículos elétricos, os primeiros no Estado. Inicialmente, servirão para recarregar 15 bicicletas elétricas doadas pela empresa à Guarda Municipal da cidade. No futuro, também poderá abastecer carros elétricos, informou Miguel Setas, vice-presidente de distribuição da EDP.

Até o fim do ano, outros sete postos de recarga serão inaugurados em municípios do interior de São Paulo atendidos pela empresa. A EDP já havia inaugurado, no início do ano, dez postos em Vitória que abastecem atualmente 45 bicicletas elétricas também doadas à Polícia local.

"É um projeto piloto que, no futuro, certamente será ampliado", disse Setas. Segundo ele, o investimento para a abertura de postos em baixa escala "não é expressivo". Já as bicicletas, produzidas por uma empresa brasileira, custam R$ 2,5 mil cada. O carregamento das baterias leva cerca de 6 horas, carga suficiente para rodar 30 quilômetros. O consumo de uma bicicleta, segundo a EDP, equivale ao gasto de uma lâmpada incandescente de 100 Watts.

fonte:http://economia.estadao.com.br/

25
Mai10

Portugal pede à Comissão apoio para carro eléctrico

adm

Portugal, Alemanha, Espanha e França enviaram uma carta conjunta à Comissão Europeia a solicitar apoio financeiro para projectos-piloto sobre a mobilidade eléctrica, de modo a chegar a um modelo definitivo em 2011.

«Consideramos que o veículo eléctrico tem de ser colocado no centro das perspetivas de desenvolvimento e competitividade», diz o comunicado conjunto, emitido a partir da reunião dos ministros europeus da indústria, e citado pela Lusa.

«O carro eléctrico não é só uma solução para uma mobilidade eficiente e sustentável, mas uma oportunidade importante para a indústria europeia automóvel e sectores conexos, como as tecnologias de informação e comunicação, assim como a produção e distribuição de energia», acrescenta a nota.

Na mesma comunicação, os quatro países pedem ao executivo comunitário apoio financeiro a projectos-piloto deste tipo, especialmente os que envolvem vários países, «porque dão uma contribuição prática para o desenvolvimento de normas comuns e ajudar a remover as restantes barreiras da mobilidade transfronteiriça».

fonte:www.ambienteonline.pt

24
Mai10

Elétrico BYD E6 começa a rodar na China

adm

A chinesa BYD já começa a venda de seu primeiro modelo elétrico, o E6, para a frota de táxi no país. Os primeiros carros podem ser vistos em circulação na cidade de Shenzhen. De acordo com o jornal South China Morning Post, a China quer que os modelos elétricos se popularizem para reduzir a poluição do ar nas cidades.

 

Para isso, as fabricantes de veículos locais têm investido em tecnologia ecológica e propõem uma frota alternativa de veículos elétricos. Com os chamados carros verdes, a indústria chinesa quer posicionar-se à frente de suas concorrentes e disputar o mercado dos Estados Unidos.

Somente no Salão Internacional de Pequim, realizado no mês passado, foram 95 modelos alternativos expostos. Além da BYD , também se destaca a Geely. A marca apresentou o modelo Panda no salão, um carro elétrico de alta performance projetado para o mercado norte-americano. Além do Panda, a Geely desenvolve mais seis modelos com energia alternativa. Alguns deles serão lançados no próximo ano.

Já a Dongfeng Motor investe no elétrico I-Car, um protótipo que chama atenção pelo seu painel futurista com comandos inseridos em uma tela sensível ao toque.

Fora as marcas chinesas, fabricantes como Volkswagen e General Motors — em parceria com as fabricantes da China — também investe no promissor mercado do país. O protótipo Ye Zi (ou Leaf) é um exemplo desse trabalho conjunto. Ele é desenvolvido pelas duas montadoras e a Shanghai Automotive Group (Saic). O Ye Zi parece um louva-deus sobre rodas, com teto saliente em forma de folha, que suporta os painéis solares e pequenas turbinas eólicas sobre as rodas.

fonte:http://g1.globo.com

22
Mai10

Carros eléctricos ainda sem acesso aos seguros

adm

A APS vai conversar com as construtoras dos veículos para saber quais os riscos seguráveis.

Os novos carros eléctricos estão quase a chegar ao mercado português. É uma vantagem para o ambiente, mas uma dor de cabeça para as companhias de seguros, que ainda não têm apólices para estes veículos, disse Pedro Seixas Vale, presidente da Associação Portuguesa de Seguradores (APS).

"Primeiro temos de falar com as marcas construtoras, com vários engenheiros e com advogados. Só podemos fazer contratos de seguro para carros eléctricos depois de sabermos todos os riscos que vamos cobrir", realçou Pedro Seixas Vale. Pelo mesmo processo passaram os carros híbridos. E aquele responsável apresentou alguns dos problemas, questionando-se se quando um carro ficar sem bateria a meio de uma viagem, a assistência em viagem deverá ser accionada, além de querer saber que perigo existirá, num dia de chuva, quando se liga o carro à corrente eléctrica. Outra das preocupações do presidente da APS assenta nos atropelamentos. "A taxa de sinistralidade automóvel tem estado a diminuir nos últimos anos, mas o número de atropelamentos, devido à cada vez maior densidade populacional, tem aumentado fortemente", diz Pedro Seixas Vale, salientando que a "quase inexistência de ruído dos veículos eléctricos poderá aumentar a taxa de atropelamentos".

Outro dos assuntos que a APS vai falar com as marcas construtoras é o do preço da manutenção e reparação dos automóveis, que deverá ser mais caro que os dos normais automóveis movidos a gasolina.

fonte:http://economico.sapo.pt

21
Mai10

Toyota arranca testes de híbridos eléctricos em Portugal

adm

A Toyota Caetano Portugal (TCAP) e a Galp Energia começaram os testes de monitorização da mobilidade eléctrica em Portugal.

 

Os cinco automóveis híbridos eléctricos plug-in que vêm para Portugal vão permitir recolher informação para avaliar o comportamento do utilizador da tecnologia e os seus padrões de carga, monitorizar os benefícios do plug-in ao nível das emissões de CO2 e consumos, assim como estudar a mobilidade nas regiões de Lisboa, Porto e Sines.Três dos veículos foram entregues a colaboradores da Galp Energia, que irão recolher a informação pretendida ao longo de 36 meses.

 


As cidades escolhidas integram cenários distintos e irão apoiar no teste destes automóveis nos mais variados estilos de condução. Ao permitirem deslocações pendulares agrupadas em três intervalos (inferior a 10 km, entre 10 e 20 km e entre 20 e 40 km), os utilizadores seleccionados vão permitir um campo de pesquisa para projectar o impacto da nova tecnologia numa faixa que representa cerca de 80 por cento da mobilidade nos centros urbanos em Portugal durante a semana de trabalho.

 

As restantes viaturas vão integrar um plano de teste e de demonstração com vários parceiros e organizações que demonstrem interesse em experimentar o conceito, desenvolvendo e colocando à prova a tecnologia e infra-estruturas de carregamento público no âmbito do projecto nacional MOBI.E.

 

O presidente da Galp Energia, Manuel Ferreira de Oliveira, salientou, a propósito desta iniciativa, que a sua empresa «procura activamente satisfazer todos os seus clientes, através do desenvolvimento de soluções inovadoras e sustentáveis».

 

Segundo o vice-presidente da Toyota Motor Europe, Michel Gardel, «o híbrido eléctrico plug-in resulta no melhor de dois mundos: estende os benefícios da tecnologia dos puro híbridos com a condução em modo eléctrico em cerca de 20Km, sem acarretar as limitações da autonomia das viaturas 100% eléctricas».

fonte:www.ambienteonline.pt

20
Mai10

Toyota Prius Plug-in à venda em 2012

adm

A Toyota Caetano Portugal e a Galp Energia deram início, hoje, ao teste de longa duração do modelo Prius Híbrido Eléctrico Plug-in, com cinco dos 200 automóveis disponibilizados na Europa pela marca japonesa. Até 2013, três destes veículos serão confiados a quadros da Galp - Inês Feio, no Porto; José Alexandre Pereira, de Sines; e Paulo Ferreira, de Lisboa - previamente seleccionados pelo Instituto Superior Técnico mediante o seu padrão de mobilidade. De acordo com o IST, estes perfis representam cerca de 80% da mobilidade nos centros urbanos em Portugal.

As restantes duas viaturas vão integrar um plano de teste e demonstração com vários parceiros e organizações (empresas, instituições, autarquias) que demonstrem interesse em experimentar este novo conceito de mobilidade, desenvolvendo e colocando à prova a tecnologia e infraestruturas de carregamento público no âmbito projecto nacional Mobi-E, como salientou o secretário de Estado para a Energia e Inovação, Carlos Zorrinho, presente na cerimónia de apresentação dos veículos.

"A Galp fez o leasing de quatro viaturas e vai pagar uma renda por isso. A quinta é disponibilizada pela Toyota Caetano", explicou Manuel Ferreira de Oliveira, presidente da Galp Energia, ao revelar pormenores do acordo com o importador nacional da Toyota. "Apenas colocámos no carro um dispositivo para a recolha de dados associados à condução (consumos, emissões de CO2, travagens, acelerações, entre outros) que serão analisados pelo IST", acrescentou.

Pontos de carregamento para eléctricos

 

Paralelamente, o presidente da Galp Energia apresentou o protótipo dos pontos de carregamento para viaturas eléctricas desenvolvido em parceria com a Efacec que estarão disponíveis nas estações de serviço da empresa. Estes equipamentos estão dotados de um software de diálogo com a rede e transmitem toda a informação para os telemóveis dos utilizadores.

Tiago Farias, professor do Instituto Superio Técnico e coordenador do programa de monotorização destes automóveis, salientou a sua "flexibilidade na fonte energética e na utilização, sem gerar a nova doença da 'ansiedade da autonomia'. Segundo os estudos desenvolvidos pela Toyota, sobre o perfil de utilização dos veículos, as deslocações diárias da maioria dos utilizadores rondam em média os 20 quilómetros. Por isso, a questão da autonomia é um problema de ansiedade e não de necessidade".

"Primeiro, vamos avaliar o comportamento do utilizador da tecnologia e os seus padrões de carga, seguindo-se a monotorização dos benefícios do plug-in ao nível das emissões de CO2, consumo de combustível e custos de utilização em geral. Sabemos que estamos perante a solução mais eficaz e imediata para a electrificação do automóvel, reforçada pelo potencial de eficiência ambiental e economia de combustível das viaturas híbridas", frisou José Ramos, presidente da Toyota Caetano Portugal, ao recordar que já circulam em Portugal 1600 unidades do Prius.

Igualmente presente na cerimónia de apresentação das viaturas, Michel Gardel, vice-presidente da Toyota Motor Europe, revelou que os 2,4 milhões de Prius produzidos pela marca até à data, "foram responsáveis pela poupança de 3500 milhões de litros de gasolina e pela redução de mais de 10 milhões de toneladas de CO2".

Preço ainda não é conhecido

 

"A indústria automóvel precisa de tempo para alcançar a maturidade nestes veículos inovadores", frisou Tiago Farias, ao lembrar que a Toyota iniciou, há 13 anos, o desenvolvimento do Prius híbrido. No entanto, os automobilistas portugueses não terão de esperar pela conclusão deste teste de 36 meses para se candidatarem à compra deste automóvel, dado que o mesmo "estará à venda em 2012", revelou José Ramos, presidente da Toyota Caetano Portugal. O preço final de venda ao público ainda não é conhecido, "mas vai ser competitivo com o de outros veículos do mesmo segmento, embora ligeiramente acima do actual Prius (30 mil euros)", acrescentou o mesmo responsável.

Esta viatura familiar, do segmento D, com cinco lugares e uma bagageira com mais de 400 litros de capacidade, é capaz de percorrer em modo eléctrico 20 quilómetros a uma velocidade máxima de 100 km/h. Este desempenho permite ao Prius Plug-in (segundo dados do construtor) um consumo médio de 2,6 litros/100 km e emissões de CO2 de 59 gramas por cada 100 quilómetros percorridos, segundo a norma europeia recentemente aprovada.

fonte:http://aeiou.expresso.pt

Pág. 1/3

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-nos no Facebook

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D