Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carros Electricos

Tudo sobre carros eléctricos, noticias, novidades, apresentações, artigos técnicos, esquemas técnicos, tecnologia, etc.

Tudo sobre carros eléctricos, noticias, novidades, apresentações, artigos técnicos, esquemas técnicos, tecnologia, etc.

Carros Electricos

30
Dez11

Siemens prepara novo sistema para carregar carros eléctricos

adm

A solução, criada em parceria com o CEIIA, reduz tempo de carregamento para duas horas.

A Siemens Portugal, em colaboração com o Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel (CEIIA), desenvolveu uma nova solução de carregamento rápido: permite abastecer dois veículos eléctricos em simultâneo, garantindo a carga máxima das baterias em apenas duas horas.

No início de 2012 começarão a ser aplicados 100 destes carregadores em Portugal, através da Mobi-e (rede de mobilidade eléctrica em Portugal). Cada carregador custa entre 2.500 e 3.500 euros, dependendo do contrato que for realizado. "A tecnologia tem de conseguir ir ao encontro das necessidades das pessoas. E este carregador é um exemplo disso. Duas horas coincidem com o tempo médio que uma pessoa passa, por exemplo, num centro comercial", explicou Frederico Rauter, responsável da área de Mobilidade Eléctrica da Siemens, ao Diário Económico. 

fonte:http://economico.sapo.pt/n

26
Dez11

Engenheiros promovem carros eléctricos’

adm

Dois investigadores da Universidade do Minho acabam de lançar o livro ‘Carros Elétricos’, o primeiro a nível mundial a tratar de forma ilustrada e abrangente a evolução deste tipo de veículos. 
A obra pretende afirmar o impacto crescente que esta tecnologia tem tido, não só na indústria automóvel mas também na sociedade em geral, explicam os autores Jorge Martins e Francisco Brito, do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade do Minho.

Ao longo de 12 capítulos profusamente ilustrados são apresentados os progressos feitos ao nível dos carros comerciais, utilitários, de competição, super-desportivos e protótipos, entre outros. 
É dado um destaque especial à mobilidade eléctrica em Portugal, que se justifica face às iniciativas pioneiras que têm surgido no país, como o programa MOBI-e, e aos veículos e sistemas em desenvolvimento nas empresas e nos centros de investigação nacionais. 
Alguns destes projectos envolvem os próprios autores do livro, os quais também possuem uma base de dados a rondar um milhar de modelos eléctricos diferentes.
 
Sustentabilidade ambiental e super prestações

“Nesta obra apresentamos os veículos eléctricos desde a sua génese até à actualidade e que nesta fase têm ganho um novo fôlego, os grandes construtores já começam a lançar modelos eléctricos de grande difusão”, refere Jorge Martins. 

“Por outro lado, os leitores que se preocupam com a sustentabilidade ambiental poderão reforçar os seus argumentos em favor da mobilidade eléctrica, mas os fãs da velocidade vão também poder deliciar-se com os muitos modelos que, apresentando prestações elevadíssimas, não gastam sequer uma gota de gasolina”, realça. 

‘Carros Elétrico’ de 200 páginas destina-se ao público em geral, sobretudo aos amantes dos automóveis não convencionais e da sua tecnologia. 
Esta edição da Publindústria e da Escola de Engenharia da Universidade do Minho vai estar à venda nas principais livrarias e também online, sendo possível consultá-la em www.engebook.com/2/7707/Carros-Electricos.

Quem são os autores

Jorge Martins é doutorado em Engenharia pela Universidade de Birmingham, Inglaterra, e professor associado do Departamento de Engenharia Mecânica da UMinho, onde coordena o Laboratório de Motores Térmicos e Termodinâmica Aplicada. Lidera um projeto MIT-Portugal de Desenvolvimento de Veículos Elétricos.

Francisco Brito é doutorado em Engenharia Mecânica e investigador de pós-doutoramento no Centro de Tecnologias Mecânicas e de Materiais (CT2M) da Universidade do Minho. Coordena o projeto ‘Análise e Desenvolvimento de Sistemas Integrados para Veículos Elétricos - MOBI-MPP’ do programa MIT-Portugal’.

fonte:http://www.correiodominho.com/

23
Dez11

Rolls-Royce 102EX Electric Concept

adm

Um Rolls? Elétrico? É verdade. A carroçaria do Phantom acaba de ganhar uma versão elétrica que prova que a Rolls-Royce está atenta às soluções de mobilidade futuras

 

Trata-se de um estudo experimental, com o objetivo de colocar clientes, jornalistas, VIPS e entusiastas da marca a debater as sensações de conduzir um Rolls-Royce elétrico. Mas não deixa de ser um passo importante e até surpreendente da marca de luxo mais reconhecida do mundo, que mostra assim não estar de costas voltadas para as questões ambientais e de sustentabilidade motora.


O Rolls-Royce 102EX Electric Concept (ou Phantom Experimental Eletric)
mantém o chassis em alumínio original, mas vê substituido o V12 de 6.75 litros a gasolina e a caixa automática de seis velocidades por um pacote de baterias de iões de lítio e dois motores elétricos montados na traseira. 


Os motores estão associados a uma transmissão automática de apenas uma velocidade com diferencial integrado. Cada unidade tem 145 kW de potência (194 CV), conferindo a este Phantom uma potência máxima de 388 CV e um estonteante binário de 800 Nm. 


A Rolls-Royce anuncia uma autonomia de 200 km com base em testes internos e uma aceleração dos 0-100 km/h em 5,7 segundos.

fonte:http://turbo.sapo.pt/

23
Dez11

Empresários paulistanos apostam nas bikes elétricas

adm

As bikes elétricas podem ser a solução para o trânsito de São Paulo. Esta é a visão de um trio de jovens empresários paulistanos, que investiram na alternativa em busca da popularização do transporte alternativo na maior cidade do Brasil.

Alexandre Lima, Renato Rovito e Rogério Rovito são engenheiros mecânicos que, desde os tempos de faculdade, imaginavam uma saída para o trânsito caótico de São Paulo.

bicicleta sempre foi uma das opções, mas ainda existiam algumas barreiras para que ela fosse usada por mais pessoas. “Percebi que muita gente desiste de trocar o carro pela bicicleta porque não quer chegar suado ao trabalho. A bicicleta elétrica elimina o problema”, explicou Lima, em declaração ao Pequenas Empresas Grandes Negócios (PEGN).

O trio buscou possibilidades e em janeiro deste ano inaugurou a EvoluBike, que comercializa três modelos de bicicletas elétricas no Brasil. A estética das bikes é bastante parecida com os modelos tradicionais e elas funcionam tanto a partir das pedaladas, como através da eletricidade.

A empresa monta aproximadamente 50 bicicletas por mês, em três formatos: Nano, que é dobrável e cabe dentro de uma bolsa, Classic, que segue padrões tradicionais e tem uma pequena cesta na frente, e Sport, um modelo parecido com as mountain bikes.

Os empresários investiram R$ 700 mil até que conseguissem lançar a EvoluBike e esperam que em cinco anos já tenham conseguido comercializar 30 mil bicicletas elétricas. “É a solução do futuro, em harmonia com a natureza. Cidades como Copenhague, na Dinamarca, estão sendo reurbanizadas com foco nas ciclovias”, lembra Lima.

Em terreno plano as bicicletas elétricas chegam a alcançar 25 km/h. Elas podem ser recarregadas em qualquer tomada e a autonomia chega a 40 quilômetros.

Imitando a Dinamarca

A Dinamarca não tem servido de modelo somente para os paulistanos que acreditam nas bikes. A União Europeia fez um comparativo entre os meios de transporte, para incentivar os 27 países que formam o bloco a investirem em estrutura para que a população utilize mais as bicicletas.

Segundo a pesquisa, se toda UE tivesse a mesma estrutura da Dinamarca, seria possível reduzir de 63 a 142 milhões as emissões de gases de efeito estufa, até 2050.

As bicicletas são totalmente limpas, os modelos elétricos têm impacto muito pequeno, de apenas 22g de CO2 emitido por quilômetro, graças à forma de obter eletricidade. Já os carros, chegam a impactar 271g de CO2/km. Além disso, o estudo analisou o impacto do ciclo de vida dos carros e 77% ocorre graças à queima de combustíveis fósseis.

fonte:http://exame.abril.com.br/
23
Dez11

São Paulo pode ter primeira frota de táxis elétricos do País

adm

São Paulo deve se tornar a primeira cidade brasileira a ter parte da frota de táxi formada por carros com motores elétricos e a gasolina. A Associação das Empresas de Táxi de Frota (Adetax) vai começar a estudar na próxima semana a viabilidade da ideia, segundo reportagem do jornal Estado de S. Paulo deste sábado. O órgão quer saber os custos de manutenção e de consumo de combustível para definir o uso, e afirmou que o alto custo dos veículos nãoé um impeditivo. O plano da Secretaria Municipal de Transportes é que os frotistas possam aumentar o número de veículos de suas empresas. A prefeitura liberaria as licenças desde que os carros fossem híbridos, menos poluentes.

A prefeitura de São Paulo, segundo o jornal, sugeriu dois modelos de carros, ambos importados. Um dos veículos, fabricado pela Ford, já está no mercado ao preço médio de R$ 130 mil. Outro veículo pela japonesa Toyota, que só deve chegar às lojas no segundo semestre do ano que vem. A principal vantagem seria ambiental, já que há modelos de carros híbridos que não emitem poluentes no ar se circularem com velocidade abaixo de 70 km/h. Os carros elétricos sugeridos pela prefeitura são carregados durante o trânsito, na frenagem.

fonte:http://noticias.terra.com.br/b

23
Dez11

Tesla revela sedã de luxo elétrico nos EUA

adm

 

 

Informações sobre o carro foram divulgadas no site da empresa, na internet. Modelo já tem 7.000 encomendas e chega ao mercado americano em 2012

 

A Tesla Motors, fabricante americana e uma das primeiras empresas a desenvolver um esportivo elétrico no mundo, anunciou que vai fabricar um sedã de luxo movido a bateria, chamado Tesla S. As linhas do modelo lembram o estilo das Maserati e Aston Martin de quatro portas. As informações foram divulgadas no site da empresa, na internet.

A versão básica do carro contará com uma bateria de 40 KWh, suficiente para rodar 160 milhas (256 quilômetros) por carga. A empresa afirma que já tem encomendas agendadas para 7.000 veículos.

Sem incluir os acessórios, o modelo terá preço a partir de US$ 57.400 (R$ 106.190) na versão de entrada. Já a intermediária, capaz de rodar 230 milhas por carga, custará US$ 67.400 (R$ 124.690) e a topo de linha chegará por US$ 92.400 (R$ 170.940).

O Tesla S virá com motor totalmente elétrico e será oferecido com opções de baterias de 40 KWh, 60 KWh e 85 KWh e autonomia variável de 256 a 480 quilômetros. Com a bateria mais potente, o modelo é capaz de acelerar da imobilidade a 100 km/h em apenas 4,4 segundos, um desempenho digno de esportivo.

O carro será construído em Fremont, na Califórnia, e as entregas só deverão ocorrer a partir de meados de 2012. Todos os modelos deverão contar com um incentivo federal de US$ 7.500.

A Tesla, que conta com a Daimler AG, Toyota Motor Corp. e Panasonic Corp. como investidores, quer ser o primeiro fabricante rentável de baterias para carros elétricos dos EUA.

fonte:http://carsale.uol.com.br/N

23
Dez11

Renault inaugura centro para testar elétricos

adm

 Renault inaugurou nesta semana na cidade de Boulogne-Billancourt, na França, um centro de teste drive para veículos elétricos. O objetivo da marca é oferecer ao cliente um serviço de aproximação com esse tipo de tecnologia. O lugar conta com um showroom com todos os modelos projetados com motores elétricos e uma pista de testes para que os visitantes possam conhecer na prática as características dos modelos com propulsor “verde” da marca.

fonte:http://www.icarros.com.br

23
Dez11

Kia apresenta primeiro modelo eléctrico sul-coreano

adm

 

 

Citadino eléctrico apresenta uma autonomia de 139 km e apenas será comercializado na Coreia do Sul

A Kia acaba de apresentar o Ray EV, o primeiro automóvel cem por cento eléctrico da marca sul-coreana. Este citadino eléctrico deriva do novo modelo compacto do construtor, apresenta uma autonomia de 139 km, e apenas será comercializado na Coreia do Sul.

Com 3593 mm de comprimento, 1595 mm de largura, 1700 mm de altura e uma distância entre eixos de 2520 mm, o Ray está equipado com um motor eléctrico de 68 cv e 167 Nm de binário. 

A bateria de polímeros de lítio está localizada por baixo do banco traseiro e possui uma capacidade de 16,4 kWh, podendo ser recarregada em seis horas numa tomada de 220V ou em 25 minutos, numa tomada de carregamento rápido.

Em termos de performances, o Ray EV anuncia uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 15,9s e uma velocidade máxima de 130 km/h. A transmissão automática permite dois modos de condução: “E” (Eco) que optimiza o consumo de energia eléctrica e potencia a autonomia, e “B” (Brake), que aumenta o poder de travagem quando em descidas acentuadas em auto-estradas ou estradas de montanha, incrementando a segurança.

A versão eléctrica distingue-se das motorizações «tradicionais» pela tomada de carregamento na grelha dianteira (para o carregamento normal), uma segunda tomada no local onde se costuma localizar o bocal do depósito (para o carregamento rápido), jantes de liga leve de 14 polegadas de menor resistência ao ar, enquanto, no interior, o Ray EV possui um painel de instrumentos exclusivo onde se podem visualizar a autonomia, a carga da bateria e o funcionamento do motor, entre outras coisas.

O Ray EV estreia também o sistema «VESS», que, em situações de baixa velocidade e de marcha-atrás, simula o som de um motor de combustão a velocidades inferior, para alertar peões e outros condutores da sua presença.

fonte:http://www.autoportal.iol.pt/n

23
Dez11

Depois do CR-Z, Honda confirma produção de roadster eléctrico

adm

 

 

Pequeno roadster cem por cento eléctrico tem «luz verde» para ser produzido em série

Depois do CR-Z, a Honda vai lançar um roadster eléctrico de tracção traseira! A estrela da marca nipónica no último Salão de Tóquio, o EV-STER, um pequeno roadster cem por cento eléctrico, já tem «luz verde» por parte da administração para ser produzido em série.

De acordo com o presidente da Honda, Takanobu Ito, a versão de produção deste roadster de apenas 3,75 metros de comprimento e 1,50 metros de largura pode ainda ser conhecida no próximo ano (2012).

Em estudo está a hipótese do modelo contar, para além da variante eléctrica, uma versão mais convencional, com propulsão a gasolina ou eventualmente híbrida, combinando electricidade e gasolina.

Na versão eléctrica, o modelo foi apresentado com tracção traseira e capaz de acelerar dos 0 aos 100 km/h em cinco segundos, alcançar os 160 km/h de velocidade máxima e 160 km de autonomia.

A alimentação do motor eléctrico está a cargo de uma bateria de iões de lítio, recarregável em menos de três horas numa tradicional tomada de 220V.

fonte:http://www.autoportal.iol.pt/n

20
Dez11

Portugueses já compraram 138 carros eléctricos

adm

Vendas de carros eléctricos superam em Portugal as estimativas das marcas, que acreditam que ainda existe um longo caminho a percorrer.

Custam mais de 20 mil euros e as baterias não duram 200 quilómetros, mas mesmo assim os portugueses mostram-se mais entusiasmados em comprar um carro 100% eléctrico do que as fabricantes automóveis previam. Desde que a Nissan, Peugeot, Mitsubishi, Citroën e Smart lançaram em Portugal os seus veículos eléctricos, no início do ano, já foram vendidos 138 unidades, segundo os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP), entre Janeiro e Outubro do corrente ano.

Este número pode parecer insipiente, mas os especialistas explicam ser normal, já que não podemos esquecer que as fabricantes estão a abrir caminho numa indústria dominada pelos combustíveis fósseis. Falamos de novas tecnologias e infra-estruturas de distribuição, mais em concreto da energia eléctrica. E, explicar toda esta mudança a um cliente, revelando os benefícios económicos e ecológicos e tentando desmistificar as inibições relativamente à autonomia, demora algum tempo.

A fabricante japonesa Nissan foi a grande impulsionadora desta revolução tecnológica na indústria automóvel, tendo efectuado acordos com vários países, incluindo Portugal, para dinamizar a adopção destes veículos. "Os clientes de um carro eléctrico são pessoas da classe média/média-alta, preocupados com questões ambientais mas também com forte racionalidade na análise de custos e benefícios. Temos algumas mulheres entre os primeiros clientes", refere António Pereira Joaquim, director de comunicação da Nissan Portugal. A Nissan já tinha vendido 12 Leaf em 2010 e, entre Janeiro e Novembro deste ano, já vendeu 90 unidades do Leaf. Segundo a ACAP, a fabricante japonesa tem uma quota de mercado de 59,4% no segmento dos veículos eléctricos no mercado nacional. "Acabámos de comemorar a venda de 20 mil Leaf no Mundo e a nossa fábrica do Japão está no máximo já da sua capacidade para conseguir responder à procura, que superou largamente as nossas expectativas", realça António Pereira Joaquim.

A Mitsubishi vendeu 21 unidades do i-Miev, a Citroën 6 C-Zero, a Peugeot 13 unidades do iOn e a Smart 14 Fortwo eléctricos.

A Renautl, líder de mercado em Portugal nos veículos a combustão, prepara-se para lançar dois dos quatro modelos eléctricos que anunciou. "Dos modelos Fluence Z.E. e Kangoo Z.E. possuíamos, no início de Novembro cerca de 80 reservas de clientes particulares", disse ao Ricardo oliveira, director de comunicação da Renault Portugal. Além dos clientes particulares, a fabricante francesa já tem algumas encomendas confirmadas de empresas.

A Opel, que lançou o eléctrico Ampera tem, actualmente, 23 encomendas firmes de empresas e de particulares. Miguel Tomé, director de comunicação da marca, acredita "que, dadas as características inéditas deste modelo, o potencial de vendas para 2012 é grande no segmento dos automóveis eléctricos", mas ressalva que "no cenário actual corremos o risco de errar qualquer previsão".

Diferentes eléctricos para todos os públicos

Apesar de todos utilizarem a energia eléctrica como "combustível" existem diferentes modelos de carros eléctricos dirigidos a públicos distintos. O Leaf, da Nissan, é o perfeito familiar com cinco lugares. Consegue alcançar mais de 160 km com a bateria carregada e produz zero emissões de CO2. Já o Mitsubishi i-MiEV, o Peugeot iOn e o Citröen C-Zero são citadinos, carros mais pequenos, de quatro lugares com autonomia de 150 km e velocidade máxima limitada aos 130 km/h. Todos estes são 100% eléctricos.

O desportivo Ampera, da Opel, conta com um sistema diferente, uma vez que tem um motor eléctrico e um motor de combustão. No modo de autonomia alargada, que é activado sempre que a bateria tiver atingido o seu estado de carga mínimo, a electricidade produzida pelo gerador instalado a bordo é dirigida para a unidade eléctrica de tracção. "Este não impõe limitações de autonomia, por isso, pode ser carro único no agregado familiar", refere Miguel Tomé. Numa viagem de fim-de-semana, o extensor de autonomia produz electricidade para alimentar o motor eléctrico, alargando a autonomia para 500 quilómetros. O custo de utilização é cerca de cinco a sete vezes inferior ao de um carro convencional a gasóleo. Este é um eléctrico com zero emissões utilizando o motor eléctrico e bastante ecológico quando liga a extensão, emitindo menos de 40 g/km de CO2.


Renault Fluence Z.E.
A partir de 21.600e

Este veículo é dedicado a clientes particulares ou frotas que procurem, ao mesmo tempo, económico e respeitador do meio ambiente. O Fluence Z.E. possui um habitáculo confortável e uma panóplia de tecnologias úteis. Com uma autonomia de 185 km (ciclo misto), o Fluence Z.E. custa a partir de 21.600 euros e terá um aluguer mensal da bateria de 82 euros (IVA incluído), assistência (10.000 km/ano em 36 meses. A Renault irá lançar, ainda em 2012, os modelos Kangoo Z.E., Twizy e ZOE.

Mitsubishi i-miev
A partir de 29.675e

É um veículo citadino de quatro lugares, com autonomia de 150 km e velocidade máxima limitada aos 130 km/h.  O preço de venda ao público a particulares (incluindo incentivo do Estado, que deverá terminar no final do ano) arranca em 29.675 euros, ou seja, o preço de venda
é 35.250 euros sem incentivos. A bateria leva 6 horas a carregar numa tomada doméstica de 220V/16A e 30 minutos de carga rápida (carrega de zero a 80% da sua carga total).

Nissan leaf
A partir de 35.000e

É alimentado por um motor eléctrico compacto que acciona as rodas dianteiras, sufijciente para uma velocidade máxima de 160km/h. Com 5 lugares e 5 portas é o primeiro veículo eléctrico do mundo especialmente produzido para ser comercializado em massa. A bateria demora cerca de 8 horas a recarregar utilizando uma fonte de alimentação de 220-240V e produz zero emissões de CO2. O Nissan Leaf custa a partir de 35 mil euros.

Opel ampera
A partir de 42.900e

É uma automóvel de quatro lugares, com um design desportivo, habitáculo de quatro lugares, versatilidade de cinco portas. O oferece 40 a 80km de mobilidade eléctrica. A autonomia estende-se para mais de 500 km com o motor de combustão, emitindo menos de 40 g/km CO2. Permite uma aceleração de zero a 100 km/h em cerca de 9 segundos e uma velocidade máxima de 169 km/h.

fonte:http://economico.sapo.pt/no

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-nos no Facebook

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D