Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carros Electricos

Tudo sobre carros eléctricos, noticias, novidades, apresentações, artigos técnicos, esquemas técnicos, tecnologia, etc.

Tudo sobre carros eléctricos, noticias, novidades, apresentações, artigos técnicos, esquemas técnicos, tecnologia, etc.

Carros Electricos

18
Nov17

Carro elétrico é alternativa sustentável para driblar crise de combustíveis

adm

Em tempos de crise relacionada a combustíveis fósseis, veículos de energia limpa ficam cada vez mais atrativos, apesar do preço. No DF, já existem pontos para recarga

O futuro já circula em cima de quatro rodas pelas ruas de Brasília. Silenciosos, modernos e sustentáveis, os carros elétricos são uma alternativa  para reduzir a emissão de gás carbônico produzido pelos veículos movidos à combustão. Em meio às notícias de crescimento populacional; aumento no valor dos combustíveis; e da frota de veículos, o modelo elétrico é uma alternativa para reduzir os danos ao meio ambiente.

Pensando nisso, o arquiteto Rogério Markiewicz, membro da Associação Brasileira dos Proprietários de Veículos Elétricos Inovadores (Abravei), optou pelo veículo sustentável há 13 meses. Ele é priorietário de uma BMW I3 100% elétrica. Em um aplicativo no celular, que conta a economia na emissão de poluentes, Rogério mostra que economizou 1,5 tonelada de CO² em pouco mais de 10 mil quilômetros rodados.
 
Além de não emitir gás, o carro também se propõe a ser um modelo ambientalmente mais correto por outros quesitos. Rogério diz que pelo menos 95% do automóvel é feito de material reciclável. “O banco é de tecido de garrafa pet, as portas são de fibra, o tecido é fibra natural”, diz.
 
Um dos entraves para a popularização dos carros elétricos é o preço.  Alguns automóveis chegam a custar R$ 200 mil. No DF, o s mais comuns são os veículos híbridos e o híbrido plug-in (Leia em saiba mais). “O único empecilho ainda é o preço. Infelizmente, eles ainda não fazem nos modelos de carros baratos por causa dos impostos. Mas temos que incentivar e popularizar. Não é o futuro, é o presente”, opinou.
 
Rogério estima que a autonomia do carro chega a 160km. Para ele, isso significa rodar por dois dias. Depois disso, ele faz a recarga na tomada convencional de casa. “É como um celular”, explicou. Ele dorme, e deixa o veículo plugado na tomada. No dia seguinte, o “tanque” está cheio e ele pode usar pelo mesmo período. “Às vezes recarrega enquanto durmo, outras, enquanto faço compras, ou vou ao cinema. Eu não gasto tempo nenhum, diferente de quem tem que ir ao posto de gasolina, por exemplo”, afirmou.
 
Em uma tomada comum, o veículo pode estar pronto para uso em até 9h. Em um ponto de recarga semirrápida (encontrado em vias públicas), este tempo pode ser reduzido para 3h. Mas, em um carregador mais potente, 20 minutos bastam. “Infelizmente, este último ainda não existe em Brasília. Mas o semirrápido pode ser encontrado em frente ao Ministério de Minas e Energia, em alguns shoppings, no Lago Sul e no Centro de Eventos e Convenções Brasil 21”, ensina Rogério.
 
Apesar de o custo de aquisição ainda ser maior do que o dos veículos convencionais, gasta-se menos com manutenção. Como não há peças essenciais em carros movidos à combustão, como vela, correias e óleo, os problemas são reduzidos. “Na revisão de 10 mil quilômetros que eu fiz, tivemos que trocar apenas o filtro do ar- condicionado. Mas, antes, eu gastava R$ 700 por mês com combustível. Hoje, eu gasto apenas R$ 40 a mais de energia”, concluiu Rogério.
 
Segundo a Associação Brasileira dos Proprietários de Veículos Elétricos Inovadores (Abravei), os transportes são responsáveis por 46% das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE). A Abravei não tem estimativas de quantos veículos 100% elétricos circulam pelo DF. No Brasil inteiro, o número não passa de 500.


Legislação 

Brasília é pioneira no incentivo às vagas para veículos elétricos. Na minuta de decreto que regulamenta o novo Código de Obras do DF (COE-DF), protocolada na Câmara Distrital em junho deste ano, há um trecho que diz: “para estacionamentos e garagens privados, com mais de 200 vagas, 0,5% delas devem ter ponto de recarga para automóveis elétricos e híbridos”.
 
Além de Brasília, alguns estados já estão elaborando políticas de incentivo, como é o caso de São Paulo. Lá, os carros elétricos e híbridos não entram no rodízio, por exemplo. Fora isso, há um decreto que concede  desconto de 50% no Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para esses carros.
 

Saiba mais

Carros híbridos: São carros econômicos e que poluem menos o ambiente, por causa de uma bateria que oferece força ao carro. O problema é que grande parte da energia elétrica do veículo híbrido usa a força da combustão da gasolina.
 
Carros híbridos plug-in: o motor do veículo é elétrico e pode ser recarregado em uma tomada convencional de casa. Eles só passam a gastar gasolina, quando a bateria do veículo acaba.
Totalmente elétricos: todo veículo movido por um motor elétrico em que as correntes são fornecidas por uma bateria recarregável ou por outros dispositivos portáteis de armazenamento de energia elétrica.


Curiosidades

» De acordo com a última atualização do levantamento realizado pela Agência Internacional de Energia AIE1, ao final de 2015, a frota mundial de veículos elétricos plug-in passava de 1,26 milhão de veículos em todo o mundo. Em estudo publicado pela Agência Internacional de Energias Renováveis AIER2, em fevereiro deste ano, a estimativa é que esse número já tenha alcançado 2 milhões.
 
» Há 260 fabricantes de veículos elétricos espalhados pelo mundo.
 
»  Em 1º de junho de 2016, ocorreu uma audiência pública no Senado Federal para discutir uma PLC que estabelece a obrigatoriedade de as distribuidoras instalarem pontos de recargas em vias públicas. Além disso, há mais dois projetos em tramitação: o PL 3.895/12, que aborda a atividade de revenda varejista de eletricidade para abastecimento do veículo. E o PLS 174/14, que suspende, por 10 anos, o Imposto de Importação (II) e o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), na importação direta de partes e acessórios sem similar nacional destinados à fabricação de veículos elétricos.
fonte:http://www.correiobraziliense.com.br/a
07
Out12

Carro elétrico atinge 241 km/h e quebra recorde

adm

 

 

O carro elétrico desenvolvido pela empresa britânica Ecotricity bateu o recorde de velocidade de veículos elétricos, ao atingir 241 quilômetros por hora. Além disso, o veículo fez de 0 – 160 km/h em 8.5 segundos.

 

Conhecido como “Nemesis”, o carro é na verdade um Lotus Exige com modificações no parte interna do veículo. Após os testes realizados na última semana na Inglaterra, o carro elétrico foi dirigido pelo piloto Nick Ponting, de 21 anos. O piloto já havia quebrado o mesmo recorde anteriormente, ao alcançar 238 quilômetros por hora.

 

Dale Vince, fundador da empresa, disse que o Nemesis foi desenvolvido para estimular o debate sobre um mundo sem petróleo. Segundo a companhia, o carro, em teoria, pode alcançar até 321 quilômetros por hora, mas as condições da pista e climáticas deveriam ser quase perfeitas para isso.

 

O carro possui autonomia de 241 quilômetros por carga. Segundo o jornal inglês Guardian, o Motor Sports Association precisa de duas semanas para registrar o feito do piloto Ponting a bordo do “Nemesis”.

fonte:http://info.abril.com.br/

11
Ago12

Carros elétricos: GM prepara bateria inovadora

adm

A Envia Systems, empresa de baterias em que a General Motors (GM) investiu, está a trabalhar numa tecnologia inovadora que poderá alimentar um carro elétrico por 320 quilómetros, apenas com uma carga, disse o diretor da construtora citado pela Lusa.

Dan Akerson, diretor da GM, disse que o automóvel deverá estar no mercado nos próximos dois a quatro anos e que a bateria deverá ter capacidade para 160 quilómetros, uma distância que poderá chegar aos 320 quilómetros, com apenas um carregamento, o que altera completamente o mercado.

Em janeiro de 2011, a GM investiu sete milhões de dólares numa empresa chamada Envia Systems, com sede em Newark, Califórnia.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

07
Mai12

Superdesportivo elétrico de sonho já tem preço: 740 mil euros!

adm

 

Acelera dos 0 aos 100 km/h em 2,8 segundos, alcança os 310 km/h de velocidade máxima (limitada eletronicamente) e tem uma autonomia de 600 km com… uma só carga. O Rimac Concept One é o primeiro superdesportivo elétrico «a sério» e até já tem preço, exótico, como de resto são todas as suas características técnicas.

Apresentado na última edição do Top Marques Mónaco, em abril, o Rimac Concept One é um superdesportivo elétrico idealizado e desenvolvido pela empresa croata Rimac Automobili. Está equipado com um conjunto de quatro motores, um por cada roda, que no conjunto oferecem uma potência máxima de 1088cv e 1600 Nm de binário máximo.

Estes números permitem-lhe cumprir os 0 aos 100 km/h em apenas 2,8 segundos, mais 0,3 segundos que o Veyron SuperSport de 1200cv. A velocidade máxima está limitada a 310 km/h (embora os compradores possam encomendar versões ainda mais extremas). 

A autonomia anunciada é de 600 quilómetros, embora a empresa não adiante em que circunstância é conseguida.

Tal como qualquer superdesportivo exótico, também o Concept One tem uma produção limitada, neste caso de apenas 88 unidades. 

E quanto custa um elétrico de sonho capaz de «assustar» o Veyron? Qualquer coisa como 742 mil euros, antes de impostos!

fonte:http://www.autoportal.iol.pt/n

20
Dez11

Portugueses já compraram 138 carros eléctricos

adm

Vendas de carros eléctricos superam em Portugal as estimativas das marcas, que acreditam que ainda existe um longo caminho a percorrer.

Custam mais de 20 mil euros e as baterias não duram 200 quilómetros, mas mesmo assim os portugueses mostram-se mais entusiasmados em comprar um carro 100% eléctrico do que as fabricantes automóveis previam. Desde que a Nissan, Peugeot, Mitsubishi, Citroën e Smart lançaram em Portugal os seus veículos eléctricos, no início do ano, já foram vendidos 138 unidades, segundo os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP), entre Janeiro e Outubro do corrente ano.

Este número pode parecer insipiente, mas os especialistas explicam ser normal, já que não podemos esquecer que as fabricantes estão a abrir caminho numa indústria dominada pelos combustíveis fósseis. Falamos de novas tecnologias e infra-estruturas de distribuição, mais em concreto da energia eléctrica. E, explicar toda esta mudança a um cliente, revelando os benefícios económicos e ecológicos e tentando desmistificar as inibições relativamente à autonomia, demora algum tempo.

A fabricante japonesa Nissan foi a grande impulsionadora desta revolução tecnológica na indústria automóvel, tendo efectuado acordos com vários países, incluindo Portugal, para dinamizar a adopção destes veículos. "Os clientes de um carro eléctrico são pessoas da classe média/média-alta, preocupados com questões ambientais mas também com forte racionalidade na análise de custos e benefícios. Temos algumas mulheres entre os primeiros clientes", refere António Pereira Joaquim, director de comunicação da Nissan Portugal. A Nissan já tinha vendido 12 Leaf em 2010 e, entre Janeiro e Novembro deste ano, já vendeu 90 unidades do Leaf. Segundo a ACAP, a fabricante japonesa tem uma quota de mercado de 59,4% no segmento dos veículos eléctricos no mercado nacional. "Acabámos de comemorar a venda de 20 mil Leaf no Mundo e a nossa fábrica do Japão está no máximo já da sua capacidade para conseguir responder à procura, que superou largamente as nossas expectativas", realça António Pereira Joaquim.

A Mitsubishi vendeu 21 unidades do i-Miev, a Citroën 6 C-Zero, a Peugeot 13 unidades do iOn e a Smart 14 Fortwo eléctricos.

A Renautl, líder de mercado em Portugal nos veículos a combustão, prepara-se para lançar dois dos quatro modelos eléctricos que anunciou. "Dos modelos Fluence Z.E. e Kangoo Z.E. possuíamos, no início de Novembro cerca de 80 reservas de clientes particulares", disse ao Ricardo oliveira, director de comunicação da Renault Portugal. Além dos clientes particulares, a fabricante francesa já tem algumas encomendas confirmadas de empresas.

A Opel, que lançou o eléctrico Ampera tem, actualmente, 23 encomendas firmes de empresas e de particulares. Miguel Tomé, director de comunicação da marca, acredita "que, dadas as características inéditas deste modelo, o potencial de vendas para 2012 é grande no segmento dos automóveis eléctricos", mas ressalva que "no cenário actual corremos o risco de errar qualquer previsão".

Diferentes eléctricos para todos os públicos

Apesar de todos utilizarem a energia eléctrica como "combustível" existem diferentes modelos de carros eléctricos dirigidos a públicos distintos. O Leaf, da Nissan, é o perfeito familiar com cinco lugares. Consegue alcançar mais de 160 km com a bateria carregada e produz zero emissões de CO2. Já o Mitsubishi i-MiEV, o Peugeot iOn e o Citröen C-Zero são citadinos, carros mais pequenos, de quatro lugares com autonomia de 150 km e velocidade máxima limitada aos 130 km/h. Todos estes são 100% eléctricos.

O desportivo Ampera, da Opel, conta com um sistema diferente, uma vez que tem um motor eléctrico e um motor de combustão. No modo de autonomia alargada, que é activado sempre que a bateria tiver atingido o seu estado de carga mínimo, a electricidade produzida pelo gerador instalado a bordo é dirigida para a unidade eléctrica de tracção. "Este não impõe limitações de autonomia, por isso, pode ser carro único no agregado familiar", refere Miguel Tomé. Numa viagem de fim-de-semana, o extensor de autonomia produz electricidade para alimentar o motor eléctrico, alargando a autonomia para 500 quilómetros. O custo de utilização é cerca de cinco a sete vezes inferior ao de um carro convencional a gasóleo. Este é um eléctrico com zero emissões utilizando o motor eléctrico e bastante ecológico quando liga a extensão, emitindo menos de 40 g/km de CO2.


Renault Fluence Z.E.
A partir de 21.600e

Este veículo é dedicado a clientes particulares ou frotas que procurem, ao mesmo tempo, económico e respeitador do meio ambiente. O Fluence Z.E. possui um habitáculo confortável e uma panóplia de tecnologias úteis. Com uma autonomia de 185 km (ciclo misto), o Fluence Z.E. custa a partir de 21.600 euros e terá um aluguer mensal da bateria de 82 euros (IVA incluído), assistência (10.000 km/ano em 36 meses. A Renault irá lançar, ainda em 2012, os modelos Kangoo Z.E., Twizy e ZOE.

Mitsubishi i-miev
A partir de 29.675e

É um veículo citadino de quatro lugares, com autonomia de 150 km e velocidade máxima limitada aos 130 km/h.  O preço de venda ao público a particulares (incluindo incentivo do Estado, que deverá terminar no final do ano) arranca em 29.675 euros, ou seja, o preço de venda
é 35.250 euros sem incentivos. A bateria leva 6 horas a carregar numa tomada doméstica de 220V/16A e 30 minutos de carga rápida (carrega de zero a 80% da sua carga total).

Nissan leaf
A partir de 35.000e

É alimentado por um motor eléctrico compacto que acciona as rodas dianteiras, sufijciente para uma velocidade máxima de 160km/h. Com 5 lugares e 5 portas é o primeiro veículo eléctrico do mundo especialmente produzido para ser comercializado em massa. A bateria demora cerca de 8 horas a recarregar utilizando uma fonte de alimentação de 220-240V e produz zero emissões de CO2. O Nissan Leaf custa a partir de 35 mil euros.

Opel ampera
A partir de 42.900e

É uma automóvel de quatro lugares, com um design desportivo, habitáculo de quatro lugares, versatilidade de cinco portas. O oferece 40 a 80km de mobilidade eléctrica. A autonomia estende-se para mais de 500 km com o motor de combustão, emitindo menos de 40 g/km CO2. Permite uma aceleração de zero a 100 km/h em cerca de 9 segundos e uma velocidade máxima de 169 km/h.

fonte:http://economico.sapo.pt/no

 

05
Out11

Toyota RAV4 eléctrico chega em 2012

adm

 

A Tesla, empresa conhecida pelo desportivo eléctrico a partir do Lotus Elise, confirmou a produção da versão eléctrica do RAV4 em 2012. Este é o primeiro projecto entre a Tesla e a Toyota no âmbito de uma parceria para o desenvolvimento de veículos eléctricos e de componentes, assim como para os sistemas de produção e toda a engenharia do processo de fabrico de veículos eléctricos.

O crossover compacto, apresentado no Salão de Los Angeles do ano passado e que conta com um motor Tesla, é descrito por Elon Musk, CEO da Tesla, como o “melhor automóvel compacto eléctrico do mercado”.

Ao que tudo indica, o RAV4 terá uma autonomia de cerca de 200 quilómetros com uma carga numa utilização em condições reais.

Musk acrescentou ainda que a relação entre as duas empresas, cujo primeiro fruto é este RAV4 eléctrico, está a progredir bem: “a Toyota é um grande consultor da Tesla, especialmente no que respeita à produção”.

fonte:http://www.autoportal.iol.pt/

30
Set11

Peugeot Vélv: o novo carro-triciclo eléctrico

adm

 

Tem três rodas e pode transportar três pessoas. Tem uma autonomia de 100 km e atinge os 110 km/h

A PSA Peugeot Citroën apresentou em França um projecto inovador para circulação urbana. O VéLV (sigla do francês Véhicule électrique Léger de Ville) é um modelo eléctrico de três rodas e que pode transportar três passageiros.

Este «veículo eléctrico ligeiro» foi desenvolvido pelo Grupo e por um consórcio de empresas francesas e um laboratório de pesquisa. Tem uma potência de 20kW para 650 quilos de peso, e uma autonomia de 100 km, podendo atingir os 110 km/h. 

«O VéLV é particularmente fácil de conduzir em espaços apertados, graças a um raio de viragem de 7,20 metros. Para além disso indica, em tempo real, qual a área possível de percorrer com base na carga disponível, ao mesmo tempo que identifica zonas de carregamento ao longo desse mesmo percurso», diz a marca em comunicado.

O VéLV consome apenas 85 Wh por quilómetro, o que significa que «o impacto para o ambiente é equivalente a uma viagem de comboio».

fonte_:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

27
Set11

PSA revela novo veículo eléctrico

adm

Image

A PSA Peugeot Citroën apresentou um veículo eléctrico ligeiro, no âmbito do fórum organizado pela ADEME (Agence de l'Environnement et de la Maîtrise de l'Energie).

Chama-se VéLV (Véhicule électrique Léger de Ville) e é fruto da colaboração do Grupo PSA com um consórcio de empresas francesas e um laboratório de pesquisa.

O VéLV tem três rodas e pode transportar três passageiros. Com uma potência de 20kW para 650 quilos de peso, tem uma autonomia de 100 km e pode atingir os 110 km/h. O seu raio de viragem é de 7,20 metros.

Este veículo eléctrico destina-se a empresas de frotas e de aluguer, bem como, às cidades onde já tenham sido implantadas modalidades alternativas de mobilidade.

Image

 

fonte:http://www.autohoje.com/

 
11
Set11

One Concept, um desportivo eléctrico capaz de atingir os 300 km/h

adm

 

 

Primeira criação da empresa croata Rimac promete surpreender todos os que visitarem o Salão de Frankfurt

O construtor Croata de automóveis Rimac, promete apresentar um arrojado «concept car» no Salão Automóvel de Frankfurt, o maior certame automóvel do ano, que abre as portas na próxima terça-feira. A Rimac automobile não é muito conhecida, mas depois de apresentar o seu super-desportivo em Frankfurt, provavelmente vai ficar na memória de muitos.

Por enquanto, sabe-se que o «One Concept» será um super-desportivo totalmente eléctrico, que vai recorrer a quatro motores eléctricos, um por roda, anunciando uma potência total de 1088cv e 3800 Nm de binário máximo. 

Com um peso de 1650kg, o «One Concept» será capaz de acelerar dos 0 aos 100km/h em apenas 2,8s. A velocidade máxima anunciada é de 305 km/h e a autonomia de… 600 km!

fonte:http://www.autoportal.iol.pt/

09
Set11

Opel revela eléctrico que gasta um euro por cada 100km

adm

 

 

A Opel prepara-se para surpreender todos os que visitarem a próxima edição do Salão Automóvel de Frankfurt, que arranca já na próxima semana, com um protótipo com “potencial para produção em série”, que promete revolucionar o transporte urbano.

O «RAK e» é um veículo compacto dois lugares, com a particularidade dos ocupantes estarem dispostos em tandem (um atrás do outro), um pouco à semelhança do Renault Twizy, equipado com uma motorização cem por cento eléctrica, capaz de uma autonomia máxima de 100 km e alcançar os 120 km/h de velocidade máxima.


Com cerca de um terço do peso de um utilitário actual, a marca alemã afirma que o consumo de electricidade deste protótipo não excede o valor de um euro por cada 100 quilómetros percorridos, cerca de um décimo do consumo de um veículo utilitário actual.

Tal como o Renault Twizy, este dois lugares poderá ser conduzido, dependendo da legislação dos países onde será comercializado, a partir dos 16 anos.

fonte:http://www.autoportal.iol.pt/

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-nos no Facebook

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D